MOVIMENTO EU SOU ECO

ECOANDO A SUSTENTABILIDADE

ECOPÉDIA

Enciclopédia da Sustentabilidade

Quais as vantagens e desvantagens do agronegócio no Brasil?

Revolução verde Agrotóxicos
A Revolução Verde e o agronegócio não servem ao combate da fome no mundo, muito menos à diminuição das desigualdades sociais?

Tempo estimado de leitura: 18 minutos

O que é Agronegócio?

O agronegócio brasileiro é o conjunto de atividades, com vantagens e desvantagens (sustentável ou insustentável?) que abrange a produção, industrialização e distribuição de produtos agropecuários, desde os insumos, como sementes e fertilizantes, até a comercialização de alimentos processados e principalmente commodities agrícolas. Portanto, essa atividade econômica engloba o cultivo, criação, processamento, armazenamento, distribuição e comercialização de produtos agrícolas, pecuários e florestais, além disso, abrangendo tanto a produção familiar quanto as grandes operações agroindustriais.

Assim, o agronegócio desempenha um papel crucial na economia global, fornecendo alimentos, matérias-primas para a indústria e contribuindo significativamente para a geração de empregos e o crescimento econômico.

Agronegócio no Brasil insustentável com vantagens e desvantagens
Agronegócio no Brasil – sustentável ou insustentável?

Agronegócio : Vantagens e Desvantagens

O agronegócio, como qualquer atividade econômica, apresenta vantagens e desvantagens. Por exemplo:

Vantagens:

  • Segurança Alimentar: O agronegócio é responsável por grande parte da produção mundial de alimentos, garantindo o abastecimento de alimentos essenciais para a população global.
  • Crescimento Econômico: O setor do agronegócio contribui significativamente para a economia, gerando empregos e estimulando o desenvolvimento econômico em muitas regiões.
  • Exportações e Balança Comercial: A produção agrícola é uma importante fonte de exportações em muitos países, o que contribui para a balança comercial, pois o país recebe moeda estrangeira pelas exportações.
  • Inovação Tecnológica: O agronegócio impulsionou avanços tecnológicos, como novas técnicas de cultivo, biotecnologia e automação agrícola.
  • Desenvolvimento Rural: O agronegócio pode ajudar a desenvolver comunidades rurais, fornecendo oportunidades de trabalho e investimentos em infraestrutura.

Desvantagens:

Em contrapartida promoveu a concentração de terras, o desmatamento, a desertificação dos solos, a contaminação dos solos, bem como dos mananciais. Por isso, as desvantagens do agronegócio atualmente superam suas vantagens.

Outras desvantagens do Agronegócio:

  • Impacto Ambiental: O uso intensivo de recursos naturais, como água e terra, bem como o uso de agrotóxicos e fertilizantes, pode causar danos ambientais, como a degradação do solo e a poluição da água.

Os impactos nos solos: soluções existe, não são usadas (Abre numa nova aba do navegador)

  • Desigualdade Social: Em algumas situações, o agronegócio pode levar à concentração de terras e a deslocamentos de comunidades rurais, contribuindo para a desigualdade social.

Os impactos ambientais nos solos brasileiros: frutos da atividade humana

Os impactos ambientais nos solos brasileiros: frutos da atividade humana

Os principais produtos do agronegócio brasileiro

Os principais produtos do agronegócio brasileiro são:

  • Commodities agrícolas: soja, milho, algodão, café, cana-de-açúcar, arroz, trigo, feijão, etc.
  • Pecuária: carne bovina, carne suína, carne de frango, leite, ovos, etc.

Os produtos agrícolas são os principais produtos do agronegócio brasileiro, representando cerca de 70% do valor total do setor. Assim, a soja é o principal produto agrícola brasileiro, seguida pelo milho, algodão, café e cana-de-açúcar.

A pecuária é o segundo principal produto do agronegócio brasileiro, representando cerca de 25% do valor total do setor. Além disso, a carne bovina é o principal produto pecuário brasileiro, seguida pela carne suína, carne de frango, leite e ovos.

Os biocombustíveis são um segmento em crescimento do agronegócio brasileiro, representando cerca de 5% do valor total do setor. O etanol é o principal biocombustível brasileiro, seguido pelo biodiesel.

O que são biocombustíveis? vantagens do agronegócio

O que são biocombustíveis? Entenda como são produzidos

Os principais mercados para os produtos do agronegócio brasileiro são:

  • Mercado interno: o Brasil é um grande consumidor de alimentos, carnes e biocombustíveis.
  • Mercado externo: o Brasil é um importante exportador de commodities agrícolas, como soja, milho, algodão e café.

Principais tendências do agronegócio brasileiro

As principais tendências do agronegócio brasileiro para os próximos anos são:

  1. Sustentabilidade
  2. Tecnologia: 
  3. Conectividade: 
  4. Globalização: 

Aqui estão algumas explicações sobre essas tendências:

1 – Sustentabilidade (sustentável ou insustentável?)

O agronegócio brasileiro está enfrentando um crescente desafio de sustentabilidade. Os consumidores estão exigindo produtos agrícolas mais sustentáveis, e os governos estão implementando regulamentações mais rigorosas sobre o impacto ambiental do agronegócio.

Diante dos desafios de sustentabilidade, o setor está respondendo com o investimento em tecnologias e práticas sustentáveis, a fim de reduzir os impactos ambientais negativos do agronegócio brasileiro. Entre as quais, estão o uso de sementes geneticamente modificadas que são mais tolerantes à seca e às pragas, o uso de fertilizantes e pesticidas de forma mais eficiente e a adoção de práticas agrícolas que preservam os recursos naturais.

2 – Tecnologia

A tecnologia está transformando o agronegócio brasileiro, tornando-o mais eficiente e produtivo. Os drones, por exemplo, são usados para monitorar as plantações e aplicar pesticidas de forma mais precisa. A inteligência artificial é usada para analisar dados e tomar decisões sobre a produção agrícola. O big data é usado para rastrear o mercado e prever a demanda por produtos agrícolas.

3 – Conectividade

A conectividade está se tornando cada vez mais importante no agronegócio brasileiro, pois os produtores rurais estão usando a internet para acessar informações sobre o mercado, comprar insumos e vender seus produtos. Além disso, a conectividade também está permitindo que os produtores rurais se conectem com outros produtores e especialistas.

4 – Globalização

O agronegócio brasileiro está cada vez mais globalizado. O Brasil é um dos maiores exportadores de commodities agrícolas do mundo. O setor está se expandindo para novos mercados, como a Ásia e a África.

Essas tendências estão impulsionando o crescimento do agronegócio brasileiro, o que se deve ao fato de que elas estão tornando o setor mais sustentável, eficiente e competitivo.

Como o agronegócio pode contribuir para a sustentabilidade?

O agronegócio pode contribuir para a sustentabilidade de várias maneiras, incluindo:

  • Redução do impacto ambiental: o agronegócio pode reduzir seu impacto ambiental por meio da adoção de práticas sustentáveis, como o uso de sementes geneticamente modificadas que são mais tolerantes à seca e às pragas, o uso de fertilizantes e pesticidas de forma mais eficiente e a adoção de práticas agrícolas que preservam os recursos naturais.
  • Produção de alimentos sustentáveis: O agronegócio pode produzir alimentos de forma sustentável, garantindo a segurança alimentar das gerações atuais e futuras, pois a produção sustentável reduz o impacto ambiental do setor.
  • Geração de empregos: o agronegócio pode gerar empregos sustentáveis, garantindo a renda e a qualidade de vida das pessoas que trabalham no setor.

Agronegócio e a Sustentabilidade
Agronegócio e a Sustentabilidade – sustentável ou insustentável?

Aqui estão algumas ações específicas que o agronegócio pode tomar para contribuir para a sustentabilidade:

  • Agricultura de baixo carbono: o uso de tecnologias para reduzir as emissões de gases de efeito estufa na agricultura.
  • Agricultura conservacionista: o uso de práticas que preservam os recursos naturais, como a rotação de culturas e o plantio direto.
  • Investimento em pesquisa e desenvolvimento: o desenvolvimento de novas tecnologias e práticas agrícolas que sejam mais sustentáveis e eficientes.
  • Cooperação internacional: o trabalho com outros países para enfrentar os desafios globais, como as mudanças climáticas.

A adoção dessas ações pode ajudar o agronegócio a se tornar mais sustentável e contribuir para a construção de um futuro mais sustentável para todos.

Revolução Verde e o surgimento do Agronegócio (sustentável ou insustentável?)

Veja bem, com a chegada da década de 1960, novas tecnologias impulsionaram a agricultura e trouxe, como vimos, aparentemente, muitas vantagens para o Brasil.

Até então mil maravilhas!

Ok, é verdade que a introdução das novas tecnologias em maquinários promoveu um aumento expressivo na produção agrícola, de tal modo que, ao lado das sementes geneticamente modificadas, os índices de produtividade se tornaram estratosféricos. 

Agronegócio é lucrativo mas insustentável
Agronegócio é lucrativo, mas insustentável?

Lucro primeiro, problemas depois?

Também é verdade que essa explosão de produtividade proporcionou aos países em desenvolvimento, como o Brasil, a elevação de suas exportações agrícolas. E foi assim que a chamada Revolução Verde reenquadrou os países ditos de terceiro mundo dentro da nova organização internacional do trabalho, como países agroexportadores. 

O que é Revolução Verde e quais são os aspectos positivos e negativos?

O que é Revolução Verde e quais são os aspectos positivos e negativos? (abre em outra janela – leia depois)

Os países de terceiro mundo passaram assim a produzir grãos que tinham e tem como destino a alimentação de bovinos e suínos em países desenvolvidos. Dessa forma, surgiu o conhecido agronegócio. 

Então, o agronegócio, a princípio, foi extremamente benéfico para esses países subdesenvolvidos, dado o fato de que o pagamento por essas exportações era e é feito em dólares, o que promoveu um bom balanço no fluxo de divisas para o Brasil.

Além disso, representou uma oportunidade para atrair investidores e alavancar o PIB. 

Então, a Revolução Verde prometia criar novos paradigmas na produção de alimentos no mundo, geraria renda, empregos e auxiliaria no desenvolvimento econômico e social das nações terceiro-mundistas. E ainda de quebra prometia eliminar a fome no mundo.

Maravilha! A proposta era mágica e parecia estar dando certa. Mas só parecia porque ninguém queria ou quer falar das desvantagens do agronegócio. Porém, quando se tratava e se trata de crescimento financeiro, as desvantagens do agronegócio não foram colocadas em pauta e ainda hoje são omitidas.

O Negócio além do Agronegócio insustentável

Bem, a Revolução Verde que originou o agronegócio insustentável prometia acabar com a fome no mundo. Certo? Contudo, nem chegou perto de resolver esse problema, muito pelo contrário.

Você sabia?

O agronegócio e suas tecnologias aplicadas contribuíram significativamente para a elevação dos níveis de pobreza e subnutrição em países como o Brasil. Mas, como, se a produção aumentou tanto?

Os Impactos dos Agrotóxicos no Brasil – Sociais, Ambientais e Econômicos

Os Impactos dos Agrotóxicos no Brasil – Sociais, Ambientais e Econômicos (abre em outra janela – leia depois)

Concentração e especulação fundiária

Veja bem, o agronegócio, que comercializa commodities e não alimentos, advogou pela exclusão dos fatores humanos do campo desde a sua concepção.

Entre as desvantagens do agronegócio é fato que as máquinas agrícolas substituíram o trabalhador rural por tratores, colheitadeiras, plantadeiras e diversos outros tipos de implementos agrícolas.

Sendo assim, as desvantagens do agronegócio foram percebidas. Primeiramente por estes trabalhadores rurais que, dispensados, foram obrigados a procurar por novas oportunidades nas cidades.

O efeito cascata:

O resultado direto e imediato dessa transformação no cenário agrário brasileiro foi o boom do êxodo rural na década de 1970. Como efeito cascata, temos a favelização das cidades brasileiras, o crescimento da fome e, consequentemente, da marginalidade. O modelo agrário que veio para eliminar a fome passou, portanto, a gerar mais fome. 

Enfim, a concentração fundiária virou um negócio extremamente lucrativo. A chamada especulação fundiária expulsou os pequenos produtores do campo e entregou mais de 70% das terras agricultáveis do campo brasileiro nas mãos de pouquíssimos proprietários.

Erradicação da Fome e Agricultura Sustentável – ODS 2: qual a solução?

ODS 2: Fome Zero E Agricultura Sustentável, O Que É, Metas E Desafios (abre em outra janela – leia depois)

Afinal, o agronegócio é sustentável ou insustentável?

A questão da sustentabilidade da agropecuária é complexa e multifacetada, com diversas nuances e diferentes perspectivas. Não existe uma resposta simples de “sim” ou “não”, pois a sustentabilidade depende de diversos fatores, como práticas agrícolas adotadas, manejo do solo, uso da água, emissão de gases de efeito estufa, impactos sociais e econômicos, entre outros.

Argumentos a favor da sustentabilidade da agropecuária:

Sim, a agropecuária é essencial para a produção de alimentos para uma população crescente, garantindo a segurança alimentar e nutricional. Sim, a agropecuária pode ser um importante motor do desenvolvimento rural, gerando renda e emprego para as comunidades locais. Claro, a agropecuária fornece matéria-prima para diversos setores da economia, como indústria alimentícia, têxtil e biocombustíveis.

Porém, o agro negócio é insustentável até que adote que adote práticas agrícolas sustentáveis, como a agricultura de precisão e a integração lavoura-pecuária-floresta, que podem contribuir para a mitigação das mudanças climáticas.

Além disso, precisamos dar a devida importância à agricultura familiar e a agroecologia, que podem contribuir para a conservação da biodiversidade, promovendo a diversificação de culturas e a preservação de áreas naturais.

Argumentos contra a sustentabilidade da agropecuária:

  • Degradação ambiental: Práticas agrícolas inadequadas, como o uso excessivo de agrotóxicos e fertilizantes, levam à degradação do solo, à poluição da água e ao desmatamento.
  • A agropecuária é um dos maiores emissores de gases de efeito estufa, principalmente devido à pecuária e ao desmatamento para a expansão das áreas agrícolas.
  • Impactos sociais: A expansão da agropecuária pode levar a conflitos por terra e água, à perda de terras indígenas e quilombolas, e à exploração de trabalhadores rurais.
  • A monocultura e o uso excessivo de agrotóxicos levam à perda da biodiversidade, ameaçando espécies vegetais e animais.
  • O modelo agroindustrial (agronegócio) concentra terras nas mãos de um pequeno número de pessoas, aprofundando a desigualdade social no campo e por isso é insustentável.

Considerações importantes:

  • A agropecuária não é um sistema homogêneo. Existem diversos sistemas agrícolas, com diferentes níveis de impacto ambiental e social.
  • A agropecuária precisa passar por uma transição para um modelo mais sustentável, que concilie a produção de alimentos com a preservação do meio ambiente e o bem-estar social.
  • Além disso, o consumidor pode contribuir para a sustentabilidade da agropecuária optando por produtos de origem sustentável, como produtos orgânicos e certificados.
  • O governo tem um papel fundamental na promoção da sustentabilidade da agropecuária, através de políticas públicas que incentivem a adoção de práticas agrícolas sustentáveis, a proteção ambiental e o desenvolvimento rural sustentável.

Em resumo, a agropecuária pode ser sustentável se for praticada de forma responsável, com o uso de técnicas que preservem o meio ambiente, promovam o bem-estar social e garantam a viabilidade econômica da atividade. No entanto, o modelo agroindustrial (agronegócio) dominante atualmente é insustentável pois apresenta diversos desafios para a sustentabilidade, e é necessário um esforço conjunto de diferentes setores da sociedade para construir um futuro mais sustentável para a agropecuária.

Curiosidades

Aqui estão algumas curiosidades específicas sobre o agronegócio brasileiro:

  • Hoje, mais de 45% das terras agricultáveis do Brasil, que são aquelas terras que podem ser usadas para a produção agrícola, estão nas mãos de menos de 1% das propriedades rurais, que são os estabelecimentos agrícolas.
  • O Brasil é o maior produtor de soja do mundo. Em 2022, o Brasil produziu cerca de 140 milhões de toneladas de soja, o que representa 37% da produção mundial.
  • O Brasil é o segundo maior produtor de milho do mundo. Em 2022, o Brasil produziu cerca de 115 milhões de toneladas de milho, o que representa 15% da produção mundial.
  • O Brasil é o maior produtor de café do mundo. Em 2022, o Brasil produziu cerca de 50 milhões de sacas de café, o que representa 33% da produção mundial.
  • O Brasil é o segundo maior exportador de carne bovina do mundo. Em 2022, o Brasil exportou cerca de 2,7 milhões de toneladas de carne bovina, o que representa 23% das exportações mundiais.
  • O agronegócio brasileiro é um setor que está investindo em tecnologias sustentáveis. O setor está investindo em tecnologias, como agricultura de baixo carbono e agricultura conservacionista, para reduzir seu impacto ambiental.
  • Outra das desvantagens do agronegócio é que a necessidade de extensas porções de terra destinadas para o monocultivo de commodities não retirou somente os trabalhadores rurais do campo, mas também dizimou a riqueza da biodiversidade brasileira. E acreditem ou não, isso sempre fez parte do pacote. 

Conclusão

O agronegócio no Brasil exibe vantagens substanciais, como contribuições significativas para a economia, exportações robustas e geração de empregos. No entanto, enfrenta desafios, incluindo impactos ambientais, dependência de condições climáticas e questões relacionadas à distribuição de terras. A busca contínua por práticas sustentáveis e equitativas é crucial para otimizar os benefícios e minimizar os impactos negativos do agronegócio insustentável no país com suas vantagens e desvantagens.

Leia também:

A Revolução Verde: Um Salto na Produtividade com Consequências Complexas

A Revolução Verde: Um Salto na Produtividade com Consequências Complexas (abre em outra janela – leia depois)

[helpie_faq group_id=’1111’/]

Referências de pesquisa para o Agronegócio

A Revolução Verde, impactos positivos e negativos (Abre numa nova aba do navegador)

Revistas Científicas Especializadas:

Pesquisa Agropecuária Brasileira:

RNP:

Acesse a Rede Nacional de Pesquisa (RNP) da Embrapa e explore um vasto acervo de conhecimento científico sobre o agronegócio brasileiro.

Agribusiness & Food Industry – Leia artigos científicos em inglês sobre gestão, economia, tecnologia e inovação no setor agroalimentar global.

Repositórios Institucionais:

Embrapa: Acesse publicações oficiais da Embrapa, a principal instituição de pesquisa agropecuária do Brasil, com foco em diversas áreas do agronegócio.

Universidades Brasileiras:

Explore os repositórios institucionais de universidades renomadas em agronomia, zootecnia, economia agrícola e áreas correlatas.

Relatórios e Publicações de Instituições:

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA): Acesse relatórios oficiais, estatísticas e estudos sobre a produção agrícola, pecuária, agroindústria e comércio exterior do Brasil.

Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA): Encontre pesquisas, análises e perspectivas do setor agropecuário brasileiro, com foco na defesa dos interesses dos produtores rurais.

Organizações Internacionais:

Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO)

Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE)

Notícias e Mídia Especializada:

Portais de Notícias do Agronegócio:

Agrolink

Canal Rural

Agribusiness Brasil

Revistas e Publicações Setoriais:

Globo Rural:

Dinheiro Rural:

Continue o raciocínio

Deixe sua impressão

Seja um Eco - Compartilhe e ajude o planeta!

Respostas

Relacionados

Mais Recentes

Traduzir »
logo 123 ecos