MOVIMENTO EU SOU ECO

ECOANDO A SUSTENTABILIDADE

ECOPÉDIA

Enciclopédia da Sustentabilidade

O que é o Aquecimento Global? História, causas e consequências

Impactos Aquecimento Global
O que é o aquecimento global? Qual a história do Aquecimento Global? Quais as causas e consequências do aumento de temperatura?

Tempo estimado de leitura: 19 minutos

O que é o aquecimento global?

Definição: O Aquecimento Global, com suas causas e consequências, que foram previstas em nossa história científica, é o aumento gradual da temperatura média da superfície da Terra e dos oceanos, observado assim ao longo das últimas décadas. Esse aumento é causado principalmente pela intensificação do efeito estufa, provocado pelas atividades humanas.

Aquecimento global
O Aquecimento Global

O que é o Efeito estufa – resumo

O efeito estufa é um processo natural que mantém a temperatura do planeta adequada à vida. Gases de efeito estufa (GEE) presentes na atmosfera, como por exemplo, o vapor d’água, o dióxido de carbono (CO2), o metano (CH4) e o óxido nitroso (N2O), retêm parte do calor do Sol, impedindo que ele escape para o espaço. Isso é ótimo porque senão o planeta seria gelado.

No entanto, o problema surgiu quando a intensificação das atividades humanas, como a queima de combustíveis fósseis e o desmatamento, aumentaram e descontrolaram a quantidade de GEE na atmosfera, intensificando assim o efeito estufa e elevando a temperatura média global a níveis perigosos.

Intensificação do Efeito Estufa:

Então, a partir da Revolução Industrial, a emissão de GEE na atmosfera se intensificou significativamente. Por isso, a queima de combustíveis fósseis (carvão, petróleo e gás natural) para geração de energia, transporte e indústria, o desmatamento e a agricultura industrial causaram o aumento dos níveis de GEE. Em consequência, estamos tendo aumento da temperatura global porque o calor fica armazenado na atmosfera e não se dissipa, como deveria ser. É o que você verá neste artigo.

Dados do efeito estufa:

As emissões de gases de efeito estufa (GEE) continuam aumentando, e os dados mais recentes confirmam essa tendência preocupante. Em 2022, as emissões globais de CO2 provavelmente atingiram um novo recorde, de acordo com o Global Carbon Project.

A concentração de CO2 na atmosfera já atingiu 421 partes por milhão (ppm), o maior nível em pelo menos 800.000 anos. O aumento anual de CO2 na atmosfera foi de 2,5 ppm, um dos maiores já registrados.

Os Principais Gases Causadores do Efeito Estufa – não eram nossos inimigos

O Efeito Estufa e a Influência no Aquecimento global (abre outra janela)

História do Aquecimento Global – para você entender a origem do problema

História do aquecimento global – 1896: Primeiro artigo científico que chamou a atenção para o efeito estufa

A expressão “aquecimento global” não era conhecida até a década de 1970. Ou seja, a primeira vez na história que a ideia de um aumento da temperatura global, devido às atividades humanas, ocorreu em 1896, pelo físico sueco Svante August Arrhenius.

Svante Arrhenius publicou um artigo científico intitulado “Sobre a Influência do Ácido Carbônico no Ar sobre a Temperatura do Solo”, que foi fundamental para o desenvolvimento da compreensão científica do efeito estufa, bem como do aquecimento global.

Svante Arrhenius - aquecimento global
Físico sueco Svante Arrhenius

História do aquecimento global – 1957: Começou a medição do CO2 na atmosfera

O físico americano Charles Keeling iniciou a medição contínua dos níveis de CO2 na atmosfera no Observatório Mauna Loa, no Havaí. As medições de Keeling, que se tornaram conhecidas como a “Curva de Keeling” e mostraram um aumento constante nos níveis de CO2 desde o início das medições.

A Curva de Keeling é um dos conjuntos de dados mais importantes da ciência climática. Afinal, ela fornece uma prova clara e inequívoca do aumento das emissões de CO2 na atmosfera desde a era pré-industrial, e demonstra como a queima de combustíveis fósseis está alterando a composição da atmosfera terrestre.

1975: Surgimento do termo “Aquecimento Global”

O termo “aquecimento global” foi utilizado pela primeira vez em um artigo científico publicado em 1975 pelo geoquímico americano Wallace Smith Broecker. O artigo, intitulado “Climate Change: Are We on the Brink of a Pronounced Global Warming?”, foi publicado na revista Science.

O artigo de Broecker foi um marco importante na compreensão das mudanças climáticas, pois chamou a atenção para o potencial impacto das atividades humanas no clima da Terra. Assim, o termo “aquecimento global” rapidamente se tornou popular entre os cientistas e o público em geral. Hoje usado para descrever o aumento da temperatura média global do planeta.

História do aquecimento global – 1988: Criação do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC)

Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), criado em 1988 por iniciativa do PNUMA e da OMM com o objetivo de fornecer aos governos avaliações científicas sobre as mudanças climáticas, seus impactos e riscos, e opções para adaptação e mitigação. O IPCC, composto por milhares de cientistas de todo o mundo, contribuem voluntariamente para relatórios considerados a principal referência científica sobre mudanças climáticas.

Por isso, os relatórios do IPCC são usados ​​por governos, empresas e outras organizações para tomar decisões sobre como lidar com as mudanças climáticas.

Linha do tempo do aquecimento global
Linha do tempo do aquecimento global

1992: A Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC)

Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), aberta para assinatura na Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (CNUMAD), também conhecida como Rio-92, que aconteceu no Rio de Janeiro em junho de 1992.

A UNFCCC entrou em vigor em 21 de março de 1994 e, atualmente, conta com 198 países signatários. O objetivo principal da Convenção é estabilizar as concentrações de gases de efeito estufa na atmosfera em um nível que impeça interferências perigosas do sistema climático.

A UNFCCC estabelece um marco histórico na luta contra as mudanças climáticas, ao reunir nações em um esforço global para estabilizar as concentrações de gases de efeito estufa na atmosfera. Além disso, a Convenção também reconhece a necessidade de ações diferenciadas entre países desenvolvidos e em desenvolvimento, com os países desenvolvidos assumindo a liderança na redução de emissões.

História do aquecimento global – 2001: O IPCC publica seu Terceiro Relatório de Avaliação

O Terceiro Relatório de Avaliação (TAR) do IPCC, publicado em 2001, foi um marco importante na compreensão das mudanças climáticas. O relatório concluiu que “é extremamente provável que a influência humana tenha sido a causa dominante do aquecimento observado desde a metade do século XX”.

Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC)

Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) – baixe o pdf do último TAR em outra janela

Esta conclusão foi baseada em uma análise abrangente da literatura científica disponível na época, incluindo estudos sobre o aumento da temperatura global, mudanças nos padrões de precipitação, o derretimento das geleiras, bem como o aumento do nível do mar. Além disso, o TAR também destacou os riscos potenciais das mudanças climáticas, como eventos climáticos extremos mais frequentes e intensos, impactos na agricultura e na saúde humana, e aumento da migração ambiental.

O TAR foi um divisor de águas na política climática internacional, pois forneceu uma base científica sólida para a ação global. Afinal, o relatório contribuiu para a criação do Protocolo de Kyoto, um tratado internacional que visa reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

História do aquecimento global – 2015: O Acordo de Paris – adotado por 195 países

O Acordo de Paris foi um marco histórico na luta contra as mudanças climáticas. Adotado por 195 países na COP21 em Paris, em dezembro de 2015, o acordo estabelece um objetivo global ambicioso de limitar o aumento da temperatura média global a bem abaixo de 2°C acima dos níveis pré-industriais, e de preferência a 1,5°C.

O Acordo de Paris entrou em vigor em 4 de novembro de 2016 e, desde então, tem sido um importante instrumento na mobilização da ação global para enfrentar as mudanças climáticas. No entanto, ainda há muito trabalho a ser feito para que os objetivos do acordo sejam alcançados.

Acordo de Paris, cop 21
Acordo de Paris, cop 21 – Acordo de Paris: resultados e consequências para a sustentabilidade (abre outra janela)


História do aquecimento global – Consenso Científico sobre o aquecimento global

Existe um consenso científico sólido sobre a realidade do Aquecimento Global, suas causas, consequências e seus impactos. Afinal, o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), principal órgão internacional de avaliação do clima, reúne milhares de cientistas de todo o mundo e publica relatórios periódicos que consolidam as evidências científicas sobre o tema.

O que diz o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC?


O aquecimento global é real, está acontecendo, agora faz parte da parte da nossa história e sentindo na pele. A temperatura média global da superfície da Terra aumentou cerca de 1°C desde o final do século XIX.”

História do aquecimento global – 2021: O IPCC publica seu Sexto Relatório de Avaliação

O Sexto Relatório de Avaliação (AR6) do IPCC, publicado em 2021, é um alerta claro e urgente sobre a crise climática. O relatório conclui que “é inequívoco que a influência humana aqueceu a atmosfera, o oceano e a terra”.

O AR6 destaca que as mudanças climáticas já estão causando impactos devastadores em todo o mundo, como eventos climáticos extremos mais frequentes e intensos, aumento do nível do mar, perda de biodiversidade, bem como impactos na segurança alimentar. O relatório também alerta que, se não forem tomadas medidas urgentes para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, os impactos das mudanças climáticas serão ainda mais graves e irreversíveis.

O AR6 é um documento crucial para a comunidade internacional, pois fornece uma base científica sólida para a ação climática. O relatório impulsiona a urgência na resposta global às mudanças climáticas.

Segundo o IPCC: As atividades humanas são a principal causa do aquecimento global. Mas, aqui também veremos outras. Vem comigo!


Evidências do Aquecimento Global

As evidências do Aquecimento Global são contundentes e comprovadas por diversos estudos científicos, como:

Aumento da Temperatura Média Global 

Análises de dados históricos demonstram um aumento significativo da temperatura média global desde o final do século XIX.

Números do aumento da temperatura:

  • A temperatura média global da superfície da Terra já subiu 1,1°C desde o período pré-industrial (1850-1900).
  • A década de 2011-2020 foi a mais quente já registrada, com 2016 sendo o ano mais quente.
  • A temperatura média global pode subir até 4,4°C até o final do século se não forem tomadas medidas drásticas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

Observações do Clima

Observações empíricas comprovam o derretimento das geleiras, elevação do nível do mar, aumento da frequência e intensidade de eventos climáticos extremos e mudanças nos padrões de precipitação.

Números em relação ao Nível do Mar:

  • O nível do mar subiu cerca de 20 cm desde 1880.
  • O nível do mar pode subir até 1 metro até o final do século, inundando áreas costeiras e deslocando milhões de pessoas.
  • O nível do mar está subindo a uma taxa de 3,5 milímetros por ano. Se a temperatura global continuar a aumentar, o nível do mar pode subir até 1 metro até o final do século.

O Desaparecimento dos Glaciares: O que está Acontecendo?

O Desaparecimento dos Glaciares: O que está Acontecendo? (abre outra janela)

Estudos Climáticos e Modelos Computacionais: 

Simulações computacionais do clima confirmam a influência das atividades humanas no aumento da temperatura global e projetam assim cenários futuros com base em diferentes níveis de emissão de GEE.

Essas projeções indicam que:

  • Cenários com baixas emissões: Se as emissões de GEE forem drasticamente reduzidas, o aumento da temperatura global pode ser limitado a 1,5°C a 2°C acima dos níveis pré-industriais, evitando os piores impactos do Aquecimento Global.
  • Cenários com altas emissões: Se as emissões de GEE continuarem a crescer no ritmo atual, a temperatura global pode aumentar até 4°C ou mais até o final do século XXI, com consequências devastadoras para o planeta.

Eventos climáticos extremos: A Fúria da Natureza Descontrolada

Eventos climáticos extremos: A Fúria da Natureza Descontrolada


Causas e consequências do Aquecimento Global: Uma Análise Detalhada

Causas do aquecimento global

Efeito Estufa:

Repetindo: O efeito estufa é um processo natural essencial para a vida na Terra. Gases de efeito estufa (GEE) presentes na atmosfera, como vapor d’água, dióxido de carbono (CO2), metano (CH4) e óxido nitroso (N2O), retêm parte do calor do Sol, impedindo que ele escape para o espaço. Essa retenção de calor mantém a temperatura média do planeta em torno de 15°C, viabilizando a vida como a conhecemos.

Os Principais Gases Causadores do Efeito Estufa – não eram nossos inimigos (abre outra janela)

Mas, o problema surge quando a intensificação das atividades humanas, como a queima de combustíveis fósseis e o desmatamento, aumentam descontroladamente a quantidade de GEE na atmosfera, intensificando o efeito estufa e elevando a temperatura média global a níveis perigosos.

Intensificação do Efeito Estufa:

A partir da Revolução Industrial, a emissão de GEE na atmosfera se intensificou significativamente. As principais causas dessa intensificação são:

  • Queima de combustíveis fósseis: Carvão, petróleo e gás natural liberam grandes quantidades de CO2 na atmosfera quando queimados para geração de energia, transporte, indústria e outras atividades.
  • Desmatamento: A conversão de florestas em áreas agrícolas, pastagens ou áreas urbanas libera CO2 armazenado nas árvores e no solo.
  • Agricultura: A produção de alimentos, especialmente a pecuária, libera metano e óxido nitroso na atmosfera.

Revolução Industrial: consequências e impactos ambientais

Revolução Industrial: consequências e impactos ambientais

Outros Fatores:

É importante considerar que outros fatores também podem influenciar o clima da Terra, como:

  • Vulcões: Erupções vulcânicas liberam gases e partículas na atmosfera que podem afetar a temperatura global.
  • Atividade solar: Variações na atividade solar podem influenciar a quantidade de radiação solar que chega à Terra, impactando o clima.

No entanto, a intensificação do efeito estufa pelas atividades humanas é a principal causa do Aquecimento Global observado nas últimas décadas.


Consequências do Aquecimento Global

O aumento da temperatura média global está gerando diversas consequências, como:

Mudanças nos Padrões Climáticos: 

Aumento da frequência e intensidade de eventos climáticos extremos (secas, inundações, furacões, tempestades), elevação do nível do mar, derretimento das geleiras e alterações nos padrões de precipitação.

Impactos Ambientais: 

Perda de biodiversidade, acidificação dos oceanos, mudanças nos ecossistemas, desertificação, salinização de solos e impactos nos ciclos biogeoquímicos.

Impactos Sociais e Econômicos: 

Migração ambiental, conflitos por recursos naturais, insegurança alimentar, problemas de saúde pública, perdas agrícolas, danos à infraestrutura e custos de adaptação e mitigação.

Eventos Climáticos Extremos:

  • A frequência e intensidade de eventos climáticos extremos, como ondas de calor, secas, inundações e furacões, estão aumentando.
  • Os eventos climáticos extremos causaram perdas econômicas de US$ 120 bilhões em 2021e de lá para cá se multiplicaram.

Limites do planeta
Limites do planetaQuais os Limites do nosso Planeta? Quanto é capaz de suportar? (abra outra janela)


Ações ambiciosas e imediatas são necessárias em todos os setores da sociedade

A Ciência é Clara: O aquecimento global é real, causado principalmente pelas atividades humanas e está acelerando a um ritmo alarmante. As consequências já são sentidas em todo o mundo, com eventos climáticos extremos cada vez mais frequentes e severos, aumento do assim o nível do mar, o derretimento das geleiras, a perda de biodiversidade e causando impactos socioeconômicos significativos.

O combate ao Aquecimento Global exige medidas urgentes e coordenadas em nível global, nacional e individual.

As principais ações necessárias são:

  • Mitigação: Redução das emissões de GEE através da transição para energias renováveis, aumento da eficiência energética, reflorestamento, mudança nos hábitos de consumo e adoção de práticas agrícolas mais sustentáveis.
  • Adaptação: Implementação de medidas para reduzir a vulnerabilidade aos impactos do Aquecimento Global, como construção de infraestrutura resiliente, desenvolvimento de agricultura resistente ao clima, sistemas de alerta precoce para eventos climáticos extremos e planos de contingência para desastres naturais.
  • Cooperação Internacional: Fortalecimento de acordos climáticos internacionais, como o Acordo de Paris, para promover a cooperação global na redução de emissões de GEE e no desenvolvimento de tecnologias verdes.
  • Educação Ambiental: Conscientização da população sobre o problema do Aquecimento Global, suas causas e seus impactos, promovendo a mudança de comportamento e a participação na busca por soluções.
  • Reduza seu consumo de energia. Desligue as luzes quando sair de um cômodo e desconecte os aparelhos eletrônicos quando não estiver usando.
  • Use transporte público ou bicicleta. Evite dirigir o carro sempre que possível.
  • Coma menos carne. A produção de carne é um grande contribuinte para as emissões de gases de efeito estufa.

O que é consumo consciente? Você compra por que realmente precisa?

O que é consumo consciente? Você compra por que realmente precisa?


Perguntas frequentes e polêmicas sobre o aquecimento global

O que os governos podem fazer para mitigar os problemas do aquecimento global?



Adotar metas ambiciosas de redução de emissões e implementar políticas públicas eficazes para descarbonizar a economia. Além disso, investir em pesquisa, desenvolvimento e implementação de tecnologias limpas e renováveis. Principalmente, promover a cooperação internacional para o combate ao aquecimento global.

O que as empresas podem fazer para combater o aquecimento global?


Elas podem assumir compromissos de neutralidade climática e assim reduzir suas emissões de gases de efeito estufa. Investir em energia renovável e em práticas de produção mais sustentáveis. Principalmente, adotar uma postura de liderança na transição para uma economia de baixo carbono.

O que a sociedade civil pode fazer em relação ao aquecimento global?


Precisa conscientizar-se sobre a gravidade do problema e os impactos do aquecimento global. Além disso, adotar hábitos de consumo mais conscientes e sustentáveis. Principalmente, pressionar os governos e as empresas para que tomem medidas mais ambiciosas no combate ao aquecimento global.

O que você pode fazer para combater o aquecimento global e as mudanças climáticas?

O Papel do Indivíduo:

Ações individuais para reduzir a emissão de carbono: uso eficiente de energia, transporte sustentável, consumo consciente.

Participação em ações coletivas: ativismo ambiental, pressão sobre governos e empresas.
Educação ambiental: conscientização sobre o problema e as soluções. Além disso:

– Reduza o consumo de energia e água.
– Opte por meios de transporte mais sustentáveis.
– Consuma menos de tudo – pode repensar suas necessidades
– Recicle e reutilizar materiais.
– Plante árvores e cuidar do meio ambiente.


Referencias de pesquisa

Artigos relacionados

Sites

  • Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC)
  • Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC)

Continue o raciocínio...

Deixe sua impressão

Respostas

Relacionados

Traduzir »
logo 123 ecos